Repórter Marcelo Courrege se desculpa por erro ao falar de LGBT

No 'Globo Repórter', jornalista usou o termo 'homossexualismo' em reportagem sobre gays na Rússia

Publicado em 09/06/2018
Em matéria sobre a Rússia, Marcelo Courrege é detonado nas redes e pede desculpas por termo LGBT
Repórter 

Correspondente da TV Globo na Rússia, o repórter Marcelo Courrege se desculpou por usar o termo homossexualismo em uma reportagem sobre o país exibida no Globo Repórter, na sexta-feira 8.

Curta o Guia Gay Salvador no Facebook

Em sua conta no Twitter, o jornalista agradeceu aos "puxões de orelha" e disse que não sabia que o sufismo "ismo" estava "condenado pelos grupos LGBTQ".

"Me desculpem. Homossexualidade. Lição aprendida", escreveu após receber diversas críticas - algumas raivosas - na rede social.

Mais
>>> Governo brasileiro faz cartilha alertando homofobia na Rússia
>>> Casal gay brasileiro deixa de ir à Copa da Rússia por homofobia

O sufixo tem vários significados, um deles é doença. Desde que a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou a homossexualidade do rol de doenças mentais, em 17 de maio de 1990 (data, aliás, que deu origem ao Dia Mundial Contra a Homofobia), organizações e ativistas lutam para combater palavras como "homossexualismo" e "lesbianismo".

Entretanto, não é nada incomum vermos formadores de opinião - atores, jornalistas etc - ainda usando estes termos em reportagens e entrevistas.

O programa focou nas belezas e na cultura da Rússia - por causa da Copa do Mundo, que começa na próxima sexta-feira 15 - mas citou a perseguição sofrida por homossexuais no país. Desde 2013, é proibido por lei que casais de gays e lésbicas mostrem afeto em público.

 


© Todos direitos reservados à Guiya Editora. Vedada a reprodução e/ou publicação parcial ou integral do conteúdo de qualquer área do site sem autorização.